CBMCE digitaliza 100% do processo de emissão de Certificados de Conformidade

9 de maio de 2019 - 13:01

Graças à iniciativa de seu Comando de Engenharia de Prevenção de Incêndio (CEPI), o CBMCE passa, nesta quinta-feira (9), a oferecer à população cearense um processo de recepção, análise e emissão do Certificado de Conformidade totalmente digital. Com isso, a Corporação ingressa no seleto grupo dos corpos de bombeiros do país que eliminaram a necessidade de papeis nesse tipo de procedimento.

“Isso proporciona uma série de vantagens, que vão desde o ganho de tempo e comodidade, proporcionando maior agilidade no fluxo dos processos e segurança na informação, até a contribuição para o meio ambiente, com a supressão dos meios físicas que acabariam indo parar no lixo eventualmente”, avalia o coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante-geral do CBMCE.

A novidade abrange o memorial descritivo, a taxa referente ao serviço de análise, a anotação de responsabilidade técnica (ART) e/ou registro de responsabilidade técnica (RRT) e o as pranchas do projeto de segurança contra incêndio propriamente falando. Toda essa documentação poderá ser enviada online, por meio do site: http://cat.cb.ce.gov.br

Um canal de comunicação via Whatsapp foi aberto recentemente pelo CEPI para oferecer esclarecimentos sobre o processo. Por meio do número (85) 3101.2394, que funciona em horário comercial, qualquer interessado em solicitar os serviços de análise de projetos e de vistoria de edificações do Corpo de Bombeiros pode obter informações.

O CEPI

O CEPI é o órgão de execução programática responsável pelo controle da observância dos requisitos técnicos contra incêndios e de projetos de edificações antes e/ou depois de sua liberação ao uso.

Desde 19 de fevereiro de 2019, a antiga Coordenadoria de Atividades Técnicas (CAT) passou a ser chamada de Comando de Engenharia de Prevenção de Incêndio (CEPI), por força do Decreto 32.978.

Em 2018, cerca de 36 mil processos foram realizados no setor de engenharia de incêndio do CBMCE, entre vistorias e análises de projetos. O número é quase cinco vezes maior do que o registrado em 2013, e a expectativa para os próximos anos é de uma ampliação ainda maior, graças à descentralização dos serviços e ações inovadoras digitais.